Estudos - Artigos - pesquisas - Reflexões relacionadas ao Yoga

 

Neste espaço você encontrará diversos textos e materiais de estudos produzidos por nossa rede de colaboradores...

2020

Yoga, Equinócio de Outono
e o COVID-19

por Diego Cerqueira Rodrigues

Yoga, Equinócio de Outono e o COVID-19

Era por volta de 3h da manhã quando passei pelo corredor em direção ao banheiro – tinha acabado de ficar uns 40 min acalentando minha filhinha de 9 meses até ela adormecer novamente – no caminho notei que o  meu celular estava com a luz acesa (geralmente deixo o telefone fora do quarto e em modo avião quando me recolho para dormir). Achei estranho e peguei o aparelho para desligá-lo, foi quando vi um lembrete:

20 de março de 2020 – EQUINÓCIO DE OUTONO às 03h49min.

 
Achei curioso e sintomático ser lembrado pelo celular sobre uma data que num passado longínquo era tão marcante, tendo em vista a profunda conexão que os povos originários tinham com os ciclos da natureza (...)

(... ) Além do equilíbrio entre luz (dia/vida) e sombras (noite/morte), que aliás é uma das propostas centrais da prática de Yoga, o equinócio de outono representa o final de um período de expansão e extroversão (verão) para gradualmente passarmos para um período de recolhimento e introversão. Este período de transição é muito propício para o processo de autoconhecimento, através do qual, deveríamos parar e olhar para dentro buscando investigar quais aspectos em nós devemos manter e quais devem ser transmutados e/ou renovados. Ou seja, deixar para trás aquilo que já não faz mais sentido e abrir espaço para o que realmente importa, como as árvores que se despedem das folhas e se resguardam para os rigores do inverno, esperando pacientemente o momento oportuno para florescerem e gerarem frutos (...)

2018 - 2019

SANA e seus Fundamentos

por Diego Cerqueira Rodrigues

O"Criador" do Yoga era amigo dos animais

por Vinicius Flores

ĀSANA e seus Fundamentos

A palavra āsana deriva da raiz sânscrita as que significa “assento” ou “sentar”. O termo āsana aparece em diversos textos fundamentais como a Bhagavad Gītā, algumas Upaniṣads, o Yoga Sūtra de Patañjali, os textos clássicos do Haṭha Yoga, etc. De acordo com o contexto, a palavra āsana pode se referir a uma postura meditativa, a um assento específico para sentar-se em meditação, ou ainda, a ideia do corpo como o assento para o verdadeiro Eu. Neste texto, utilizaremos o significado mais evidenciado no contexto do Haṭha Yoga, o de posturas psicofísicas (...)

India e suas facetas
parte 1 : O Tal País dos Contrastes

por Diego Cerqueira Rodrigues

ÍNDIA E SUAS FACETAS

Agora em janeiro faz 4 anos da minha última viagem à Índia. Assim, movido pela saudade e pelo amor a esta terra incrível, farei algumas postagens com lembranças e reflexões das peculiaridades que compõe este intrigante e fascinante pais.

*

Parte 1: O TAL PAÍS DE CONTRASTES

Você já deve ter ouvido o jargão: “a Índia é um pais de contrastes”. Ok, de fato é! Mas até aí nada muito diferente do Brasil, pois basta ampliar um pouco mais o olhar para além de nossas bolhas sociais e geográficas para encontrar os tais contrastes por aqui também.

Sendo assim, o que faz com que essa expressão seja tão utilizada para descrever a Índia?

Vejo duas possibilidades principais:

  1. Inicialmente acredito que seja uma tentativa simplista e superficial de descrever em palavras a complexidade e profundidade que é a Índia.  

  2. A Índia é escancaradamente autêntica e intensa. Estar em suas terras é um exercício constante de equilíbrio entre polaridades que podem mexer significativamente com os sentidos.

Mas para compreender efetivamente os tais contrastes é importante investigá-los um pouco mais profundamente sob diferentes pontos de vista: (Geográfico - Econômico - Social - Religioso) ...

O “criador” do Yoga era Amigo dos Animais

       Apresento aqui, uma breve reunião de conhecimentos acerca da imprescindível e habitualmente menosprezada, primeira parte do sistema organizado pelo sábio Patañjali. Esta primeira parte trata da dimensão ética e princípios de autocontrole, que deve ser abordada, estudada e vivenciada por aqueles que pretendem trilhar o caminho do Yoga.

       Abordar este tema é necessário porque o Yoga no ocidente muitas vezes recebe uma simples forma de exercício físico, e é urgente porque a deficiência ética dos praticantes gera extremos sofrimentos a outros habitantes do planeta. A maioria dos profissionais do Yoga prefere não tocar no assunto que diz respeito ao sofrimento dos animais, ao respeito à vida, pois essa preocupação que os levaria a adotar uma postura vegana pode fazê-los perder alunos e serem vistos como radicais (...)

Parvatāsana - पर्वतासन

(parvata = montanha ; asana = postura)

por Diego Cerqueira Rodrigues

A natureza era parte integrante da realidade dos antigos yogis que se dedicaram a sistematizar o Hatha Yoga, não por acaso, diversas técnicas psicofísicas desta tradição fazem referências a cenários como montanhas e florestas.

A montanha, em especial, apresenta um significado muito particular e sagrado no contexto do Yoga, pois sempre foi um destino muito utilizado para peregrinações e prática ascéticas. Na mitologia Hindu o monte Meru é considerado o eixo central do universo, enquanto que o Monte Kailash é respeitado como a residência de Shiva (patrono do Yoga), além de ser o local onde nascem diversos rios importantes, inclusive o Rio Ganges.

Assim, quando realizamos uma postura com um simbolismo tão especial como parvatāsana, o fazemos com reverência, buscando internalizar arquétipo da montanha, de forma que tais atributos reverberem em nosso corpo.

Vamos analisar a postura a partir de 3 perspectivas:

  1. Aspectos físicos / técnicos

  2. Aspectos sutis

  3. Efeitos (benefícios e contraindicações)

2017

A postura da árvore (vkāsana)

por Diego Cerqueira Rodrigues

Hoje vamos nos aprofundar em uma das posturas mais emblemáticas do Hatha Yoga: vṛkṣāsana – a postura da árvore (pronuncia-se vri ki shá ssa na).

Trata-se de um asana muito antigo que aparece em um dos principais tratados do Hatha Yoga: Gheranda Samhita (sec. XVII) e que é assim descrito:

“Colocar o pé direito na raiz da coxa esquerda e ficar como uma árvore na terra é vṛkṣāsana” (G.S. II-36)

Perceba que se trata de uma descrição bem concisa, na qual nada é dito sobre a posição dos brações e mãos, por exemplo. Assim, o propósito deste texto é explorar mais afundo esta postura a partir de 3 perspectivas:

  1. Aspectos físicos / técnicos

  2. Aspectos sutis

  3. Efeitos (benefícios e contraindicações)     ...

Mahadevi, a primeira que brilhou

por Priscila Camargo Jacewicz

            O presente artigo pretende apresentar ligeiramente os aspectos de transformação do princípio feminino da Maha Devi, a Grande Deusa, nas vertentes espirituais da Índia.

De uma deidade que figurava na maioria dos achados arqueológicos dos primeiros povoamentos formadores da nação hindu, passando a assumir o poder absoluto na religião Śākta e compartilhando esse poder com o princípio masculino no Tantra, a Deusa parece ter jamais deixado de olhar por seus filhos e filhas.

            Tal reflexão sobre a Grande Mãe é imperativa, uma vez que a humanidade se encontra muito longe de honrar o princípio feminino nas mulheres e menos ainda no íntimo de cada homem. É sabido que civilizações que reverenciavam a Deusa sempre foram descritas como pacificas, respeitadoras da natureza, capazes de interagir de fora harmoniosa com os reinos animal, vegetal e mineral, seguindo os movimentos dos astros, das estações e dos seres (...)

AVIDYĀ: Uma visão embaçada da vida

(O olhar do Yoga sobre a ignorância)

por Diego Cerqueira Rodrigues

Vamos imaginar o seguinte:

Diante de ti há um espelho embaçado. Consequentemente (e obviamente), a imagem refletida está desfoque. Agora pense o quão surreal seria se você convictamente acreditasse que a imagem que se apresenta à sua frente fosse a representação perfeita da realidade. Seria estranho, não é mesmo?

Entretanto, é exatamente isso que a maioria de nós fazemos quando criamos a percepção da realidade ao nosso redor, enxergando as distorções como se fossem verídicas. Assim como na analogia do espelho, estamos convictos que esta percepção “embaçada” da vida, baseada em crenças limitantes, condicionamentos negativos, interpretações equivocadas e preconceituosas, representa a realidade tal como ela é!

Na tradição do Yoga temos um termo sânscrito que concebe a raiz de toda esta confusão: avidyā – a ignorância.

Os Obstáculos no Caminho do Yoga
Ensaio sobre "A coisa"

por Diego Cerqueira Rodrigues

*** Ah, mas hoje está muito frio! *** Ah, mas hoje está muito calor! *** Ah, mas hoje está chovendo! *** Ah, hoje estou cansado! *** Ah, hoje preciso trabalhar um pouco mais. *** Ah, só mais um capítulo desta série incrível! *** Ah, acho que isso não é pra mim! *** Ah, prefiro o mundo virtual. *** Ah, eu desisto! *** Acho que o universo está conspirando para eu não praticar! ***

             Um dos grandes professores que encontrei no Kaivalyadhama College of Yoga (Índia), em sua maneira firme e amorosa de transmitir seus ensinamentos, costumava dizer:

“Você com certeza encontrará milhares de desculpas para não praticar, mas para praticar você precisa de apenas uma coisa: VONTADE”.

           Não sei se essa franqueza que é peculiar em alguns dos ótimos professores de Yoga que encontrei pela Índia faria muito sucesso por aqui. Afinal, é muito mais agradável ter um instrutor que diga, de uma forma carinhosa e num tom de voz adequado, exatamente aquilo que desejamos ouvir (...)

Qual é o Yoga da Moda?

por Diego Cerqueira Rodrigues

Anatomia e Cinesiologia Aplicadas ao Hatha Yoga

por Diego Cerqueira Rodrigues

Nos últimos três dias precisei responder de forma recorrente a mesma pergunta: 
“Você viu a reportagem do Esporte Espetacular sobre ‘Yoga’ com a Fernanda Lima?”
Após responder negativamente por diversas vezes resolvi enfim procurar a tal reportagem...
Bom, agora que já suportei os quase 30 min que compõe a matéria, compartilho com vocês algumas impressões e reflexões:

Lembrando que a ideia aqui não é criticar as pessoas envolvidas na matéria (jornalistas, apresentadores, celebridades), nem o método de yoga apresentado e nem a instituição que a produziu (mesmo sendo a Globo merecedora de todas as críticas do mundo).

Enfim, prefiro direcionar a minha reflexão crítica a alguns conceitos errôneos sobre o Yoga que aparecem em quantidade assustadora ao longo da matéria (...)

Este artigo, assim como a própria prática do Hatha Yoga, busca a integração e o equilíbrio entre polaridades...

           Bom, no caso deste texto, as polaridades são as seguintes:

Visão 1: Ciências como anatomia e cinesiologia apenas afastam o Yoga de sua real essência!

Visão 2: Hoje em dia a prática de Yoga é majoritariamente física, sendo assim, ciências como anatomia e cinesiologia constituem praticamente a base desta tradição indiana.

        Para iniciarmos (...)

2016

Yoga é resistência

por Goura Nataraj

(...) Na verdade, o sentimento do yoga tal como todo sentimento filosófico nasce de uma inquietude com a realidade, um desconforto e uma desconfiança com a norma vigente e com as formas de interpretar esta norma. O yogi declara guerra à ignorância, à ilusão, e desta forma não consegue mais sentir-se plenamente a vontade co-habitando na mentira, dividindo seu espaço com ela (...)

(...) Num mundo onde as pessoas procuram esquecer de si com cada vez mais freqüência, onde a alienação se torna a regra, o medo e a insegurança prevalecem e os relacionamentos são cada vez mais pautados pela superficialidade e hipocrisia, buscar o desenvolvimento de nossa 'paisagem interior' é estar em franca oposição à tudo aquilo que empobrece o espírito. O yoga se torna e se traduz como resistência(...)

O Corpo no Tantrismo
(Corpo Universo - Corpo Sagrado - Corpo Diamante)

por Diego Cerqueira Rodrigues

(...) o Tantra propõe a expansão da consciência através de um caminho totalmente experiencial, no qual o sagrado e o mundano caminham de mãos dadas com passos firmes rumo à libertação dos véus que encobrem a nossa verdadeira natureza.

            Para o tantra todo o universo é a manifestação da interação entre Shiva (consciência pura, princípio masculino) e Shakti (energia primordial da criação, princípio feminino).

Com base nesse pensamento, temos uma das características fundamentais do tantrismo: o culto à grande Deusa como uma manifestação suprema da Shakti. Isto é observado desde o respeito a natureza até a reverência à diferentes deidades femininas. Inclusive, no tantrismo cultiva-se a ideia de que toda a mulher merece ser reverenciada e respeitada como uma manifestação da Mãe Divina (fonte ilimitada da natureza criadora) (...)

O que esperar de uma "Formação" em Yoga

por Diego Cerqueira Rodrigues

Inicialmente, gostaria de registrar que o termo “formação” não me parece a expressão mais adequada para se vincular a uma tradição como o Yoga. Não se trata aqui de um preciosismo epistemológico, porém acredito que existem termos mais apropriados como Aprofundamento e Capacitação*.

*Capacitação no sentido de facilitar o desenvolvimento de algumas capacidades importantes dentro do caminho do Yoga.

Até que ponto não seria ingenuidade, ou mesmo uma incoerência, acreditar que a realização de um curso de curta duração com encontros espaçados é suficiente para formar professores aptos a transmitirem plenamente os ensinamentos milenares do Yoga?

A Experiência Radical

por Gerson D'Addio

Nunca é demais lembrar que os propósitos do Yoga vão bem além do corpo, mas mesmo que se tratasse de um conjunto de técnicas com objetivos meramente físicos, já se distinguiriam por uma perspectiva singular.

Os exercícios físicos convencionais são normalmente focados nas estruturas mais superficiais e visíveis do corpo, dando pouca ou nenhuma ênfase às estruturas mais profundas e menos visíveis. Assim, é comum vermos as pessoas em academias de ginástica, condicionando seus músculos peitorais, abdominais, glúteos, quadríceps, bíceps e tríceps, dentre outros, e isso é positivo, porém seriam estes os músculos mais importantes do corpo?

Estão eles associados às funções mais vitais? A resposta é: não...

Corpo: Laboratório do Brincar

por Diego Cerqueira Rodrigues

Acredito que o desejo de praticamente todas as mães e todos os pais é verem suas/seus filhas(os) felizes e saudáveis.

A ideia central deste artigo é propor uma reflexão sobre como realizar este desejo de forma a contemplar respeitosamente e amorosamente as reais necessidades das crianças.

Atingir a realização plena deste desejo pode ser um processo repleto de simplicidade e leveza. Porém, isso não quer dizer que não seja necessário um bom grau de empenho por parte dos adultos. Ou melhor, mais do que empenho. Há dois aspectos que considero essenciais para se vivenciar verdadeiramente este processo..

 

Obs. Apesar deste artigo não apresentar ligação direta com o Yoga, escolhi publicar aqui no site do CEPY por duas razões: 1) O corpo, como no Yoga, também é visto aqui como uma fonte de autoconhecimento e aprimoramento;

2) Além do meu caminho com o Yoga, possuo experiência de mais de 10 anos na área de educação com atividades de movimento e expressão corporal para crianças;

Os Efeitos Colaterais do Yoga

por Diego Cerqueira Rodrigues

Você provavelmente já deve ter ouvido falar dos famosos benefícios que a prática do Yoga pode proporcionar, pois, cada vez mais, a ciência, a mídia e o tradicional boca-a-boca estão tornando-os mais conhecidos.  A maioria dos instrutores e praticantes mais experientes têm uma extensa lista destes benefícios na ponta da língua para oferecer prontamente a quem desejar (...)

(...) O indivíduo que começa a se aprofundar na prática de Yoga inevitavelmente será conduzido por um caminho de autoconhecimento que o fará entrar em contato com diversos aspectos do seu Ser, seja luz, ou seja sombra.

Aquela sensação “gostosinha” que muitas vezes experimentamos durante e após as aulas, eventualmente, poderá ser substituída por alguma inquietação ou mesmo choques de realidade frutos de uma mente mais estável e uma visão mais lúcida sobre a vida como um todo (...)

Respiração, Pranayamas e a Energia que sustenta a vida

por Diego Cerqueira Rodrigues

No Yoga, a respiração também tem papel fundamental no caminho de aprimoramento do praticante, pois é através dela que são estruturadas as técnicas de pranayamas. Estas técnicas, além de todos os benefícios relacionados às melhorias do sistema respiratório, atuam também no sistema nervoso central, influenciando no equilíbrio de aspectos fisiológicos, emocionais e psíquicos. Além disso, os pranayamas podem contribuir diretamente na capacidade de estabilizarmos a mente e torná-la receptiva à meditação.

Ahimsa nas relações

por Maristela S. Lima

ahiṃsā-pratiṣṭhāyāṃ tat-saṃnidhau vaira-tyāgaḥ

 

“Quando nos estabelecemos firmemente em ahimsa, deixa de existir qualquer hostilidade ou ressentimento ao nosso redor.”

 

Ahimsa é o primeiro dos Yamas, ou preceitos morais e éticos do Yoga, relativos ao nosso comportamento com o mundo, com os outros e conosco (...)

(...) Segundo TAIMNI, em A Ciência do Yoga, “Ahimsa é uma qualidade dinâmica e positiva de amor universal, não uma simples atitude passiva de inofensividade. (...) Esta qualidade denota uma atitude e um tipo de comportamento em relação a todas as criaturas vivas, com base no reconhecimento da subjacente unidade da vida. (...) Quem deseja se aperfeiçoar na prática de ahimsa mantém rigorosa vigilância sobre sua mente, suas emoções, suas palavras e seus atos, e começa a ajustá-los ao seu ideal"...

Psicologia do Yoga

por Sylvie Brandes

Já dizia Sri Aurobindo: O yoga é uma psicologia prática! Em um mundo que muito nos exige, em virtude de um ritmo e estilo de vida que se constrói de forma majoritariamente acelerada, para a maior parte das pessoas, a prática de yoga surge como um contraponto interessante.

Essa forma acelerada de ser e viver, envolta também por instrumentos da tecnologia que nos convidam a uma interação constante com o meio externo, tornam cada vez mais raros momentos de silêncio, auto-observação e contemplação, algo como simplesmente ser, simplesmente estar...

Qual é a sua prática subversiva?

por Diego Cerqueira Rodrigues

Uma das minhas favoritas (por mais estranho que isso possa parecer) é o Yoga!

No sistema atual, o conceito de tempo de qualidade virou praticamente sinônimo de produtividade que, invariavelmente, é direcionada a alimentar o próprio Sistema.
Me pergunto: é este o Sistema que eu quero alimentar? Um Sistema que se mostra em velocidade progressiva rumo ao colapso. Um Sistema que não prioriza a vida, mas a utiliza como um simples recurso, esgotando-a aos poucos.

2015

A Trava Ascendente

por Gerson D'Addio

Trata-se de uma técnica classificada como uma das travas (Bandhas), podendo estes ser estudados muito além das ações musculares, havendo efeitos fisiológicos e aplicações terapêuticas que vale a pena mencionar.

Dentre esses “exercícios”, um dos mais importantes é o Uddiyana bandha (pressão da parede abdominal contra a coluna, elevação ao máximo o diafragma), muito valorizado nos textos clássicos do Hatha Yoga, tais como o Hatha Pradipika e o Gheranda Samhita...

História e Filosofia do Yoga: Uma Síntese

por Marcos Elias (Mahamuni das)

Contar a história do yoga é uma grande pretensão, é quase como tentar desvendar um mistério. Aquilo que se esconde nos recônditos intocáveis da alma humana também está escondido entre os incontáveis milênios por onde esta alma habitou. Sabemos tão pouco acerca de nós mesmos hoje, e sabemos igualmente muito pouco acerca dos mistérios da história da vida humana na terra. Podemos afirmar, contudo, que o yoga, estando “à imagem e semelhança do homem”, certamente o acompanha desde o princípio de sua caminhada...

Yoga: Uma Breve Apresentação

por Diego Cerqueira Rodrigues

Yoga, uma pequena palavra que contém em si um universo. O termo Yoga deriva da raiz sânscrita yuj, que significa, originalmente, ‘jungir’, ‘ligar’, ‘atar’. A partir disso, utilizam-se os conceitos de “união”, ou mesmo “integração” como traduções possíveis para o termo. Esta integração que a palavra Yoga propõe está relacionada a um estado de plenitude e equilíbrio, no qual ocorre a harmonização de diversos aspectos constituintes do indivíduo, inclusive a união entre a consciência individual (jivatman) e a consciência cósmica (Paramatman)...

Yamas e Niyamas

por Diego Cerqueira Rodrigues

Na literatura contemporânea, existe uma extensa quantidade de obras relacionadas aos conhecimentos do Yoga. Entretanto, é possível afirmar que grande parte dos estudos comprometidos com a essência do Yoga possuem suas origens (mesmo que indiretamente) no Yoga Sutras, obra atribuída ao sábio Patañjali. O texto é composto por 196 aforismos (sentenças breves e conceituosas). A data de criação desta obra fundamental, bem como o período de permanência de Patañjali na terra, é incerta. Porém, alguns indícios apontam para um período entre 200 a.C. e 200 d.C....

Yoga e Liberdade

por Luciano Girorgio

Liberdade é a meta final de todo o processo de yoga. Em geral, pensamos a liberdade de maneira leviana, achando que se trata da possibilidade de fazer o que queremos, o que nos “der na telha”. Essa é uma noção falsa de liberdade, porque o sujeito que quer realizar todos os desejos que passam pela sua cabeça está completamente subjugado por suas fantasias, seus sentidos e seus processos mentais mais superficiais, e pode ser considerado tão livre quanto um escravo, com o agravante de que, no seu caso, o agente opressor é a sua própria mente...

o esteriótipo do yogi

por Diego Cerqueira Rodrigues

Recentemente, durante uma conversa, um dos meus alunos se mostrou surpreso com algumas reflexões e atitudes sociopolíticas que demonstrei... me parabenizou dizendo que não esperava esse tipo de consciência de uma pessoa que parecia tão “Zen”(seja lá o que for que ele entenda por zen)...

Enganos Comuns Concernentes ao Yoga

por Luciano Girorgio

O Yoga-Sutra do sábio Patañjali é o texto que sistematiza a prática de yoga de modo a estabelecer as diretrizes principais daquilo que pode ser chamado de yoga. A definição de yoga dada no texto, logo no segundo aforismo do primeiro capítulo, diz que yoga é ‘nirodha’ das atividades da mente (citta-vrtti-nirodhah). Tal definição dá margem para o que é talvez o mais difundido e grave engano com relação à prática de yoga – o de que yoga é ‘parar de pensar’....

Bicicletas, Ahimsa e a Cultura do automóvel

por Goura Nataraj

Uma das mais importantes qualidades de um yogi, é a capacidade de reconhecer em tudo o que existe, nas mais diversas e distintas manifestações de existência, a unidade de Brahman, o princípio único que subjaz em todos os fenômenos.

Este olhar singular, este re-conhecimento místico, aparece na Bhagavad-gita sob o termo sama-darshinah - visão equânime. O yogi possui uma visão de igualdade. Na diversidade quase infinita do mundo material ele vê sempre Brahman, a divindade, a consciência suprema, por trás das formas sempre diferentes, sempre mutantes dos fenômenos. 

© 2013 by CEPY - Centro de Estudos e Práticas em Yoga - Site desenvolvido por Diego Cerqueira Rodrigues